Reabertura Alto Forno

  Após crise, Usiminas vai reabrir alto forno em Ipatinga.

  postado em 25/09/2017 

 

  religaraltofornodausinadeipatinga

  Após dois anos de prejuízos, a Usiminas volta a dar resultados positivos, o que vai propiciar a reativação de um alto forno em Ipatinga, no Vale do Aço, gerando 120 novos empregos, e a antecipação do pagamento de uma parcela de sua dívida.


  A notícia foi anunciada por Sérgio Leite de Andrade, presidente do grupo empresarial, em audiência pública da Comissão de Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), nessa terça-feira (19). 

  Solicitada pelo deputado Duarte Bechir (PSD) e comandada pelo presidente da comissão, deputado Roberto Andrade (PSB), a reunião discutiu ações e planos de investimentos da Usiminas para o próximo biênio.  

 O executivo detalhou que o fechamento do segundo trimestre deste ano mostrou um resultado melhor do EBITDA dos últimos 13 trimestres, de R$ 750 milhões.

 O indicador mostra quanto uma empresa gera de faturamento em suas atividades, sem contar impostos e outros efeitos financeiros.

  Aporte de capital - Sérgio Andrade explicou que, com a crise econômica em 2015, houve uma deterioração consecutiva das finanças da empresa. Isso levou a companhia a pedir aos acionistas um aporte de capital da ordem de R$ 1 bilhão para manter suas operações, no que foi atendida pelos três maiores acionistas - Techint, Nippon Steel e Companhia Siderúrgica Nacional (CSN).

  Outra ação importante foi a interrupção do pagamento das amortizações da dívida da empresa. “Conseguimos renegociar a dívida, atualmente da ordem de R$ 7 bilhões, para mais dez anos e com três anos de carência para o pagamento da primeira parcela”, comemorou.

  Grupo gestor
  Por último, afirmou o presidente da Usiminas, foi reestruturada a gestão da empresa, com foco na geração de resultados. Criou-se o chamado Grupo dos Dez, responsável pela gestão e motivação da equipe. “Em maio de 2016, colocamos a meta de gerar R$ 100 milhões por mês”, relatou.
Além disso, foi desenvolvido um trabalho de revisão de processos de produção e manutenção, redução de cargos gerenciais e gestão eficaz de preço, entre outras ações.

  “Dessa forma, no terceiro trimestre de 2016, atingimos a meta, com R$ 307 milhões de EBITDA. E agora, chegamos ao segundo trimestre de 2017, com o resultado de R$ 1,7 bilhões”, registrou. Em consequência desse trabalho, em dezembro deste ano, será antecipada a volta da amortização da dívida, com o pagamento de US$ 90 milhões.

*Com assessoria da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG)

© Todos os direitos reservados a A.N.R. Transportes Rodoviários Ltda. - Rua Marcos Arruda, 909 - São Paulo - SP - CEP 03020-000